domingo, outubro 15, 2017

Tela Super8: American Horror Story, 2ª Temporada

Sempre posto alguma música ligada aos filmes produzidos para o cinema, mas hoje resolvi postar uma hilária cena do seriado American Horror Story, 2ª temporada, em que a atriz Lily Rabe interpreta uma freira boazinha que com o diabo no corpo canta, com muita sensualidade e sarcasmo a música "You Don´t Own Me" de Lesley Gore.


terça-feira, outubro 10, 2017

Como Nossos Pais

(Brasil, 2017)
Direção: Laís Bodanzky
Elenco: Maria Ribeiro, Paulo Vilhena, Clarisse Abujamra, Jorge Mautner.

Como o título já sugere, o novo filme de Laís Bodanzky aborda a relação entre pais e filhos o que é comum na carreira da diretora (Bicho de Sete Cabeças, As Melhores Coisas do Mundo), mas infelizmente a diretora forçou a barra. Ao retratar o mundo virando de cabeça para baixo quando Rosa descobre que o seu pais biológico é outro, além da crise latente do seu casamento e financeiro (que é citado mas nunca concretizado), fica óbvio que Rosa representa o desconforto moral (conservador x liberal) e político (a decepção com o pai biológico que é um politico) que o Brasil sente na conjuntura atual. A personagem de Maria Ribeiro simboliza uma pessoa que vive num casulo e se encontra numa posição desconfortável de sair da tal condução. Ao utilizar a relação familiar como reflexo do Brasil atual, a  diretora realiza um filme irregular no seu ritmo em que algumas cenas deveriam ter ficado na sala de montagem como é o caso a gravada em Brasília. No entanto, a produção é competente e o elenco arrebenta especialmente Clarisse Abujamra e Jorge Mautner, e a produção ganha pontos quando foca em Rosa e o seu desejo de mudar e na relação com os pais. Recapitulando, o filme é positivo quando a Rosa ganha personalidade mas perde-se ao querer se transformar em uma alegoria.

quinta-feira, outubro 05, 2017

O Estranho que Nós Amamos

(The Beguiled, EUA, 2017)
Direção: Sofia Coppola
Elenco: Colin Farell, Nicole Kidman, Kirsten Dunst, Elle Fanning.

Faz vinte anos que assisti a primeira adaptação da obra de Thomas Cullinan, em que Clint Eastwood era a vítima algoz de um bando de mulheres em um ótimo trabalho tenso de Don Siegel. E na atual repaginada, Sofia Coppola vai na contramão da obra de 1971, e substitui o suspense misógino por uma visão feminista e pessoal a respeito de um homem sedutor que ao quebrar a ordem e a harmonia de um lar de mulheres desperta nelas sentimentos distintos. Com um roteiro mínimo, a diretora foca todo o potencial através na imagem num belo trabalho de design de produção, e num clima totalmente anticlimático em que a ausência de trilha sonora faz com que a câmera expie uma gama da natureza feminina (a romântica, a autoritária, a sedutora, a infantil) em um ritmo lento recordando Michael Haneke. Mas diferente da mão pesada do cineasta alemão, Sofia consegue imprimir o seu cinema autoral e faz um trabalho frio e ao mesmo tempo sensível sobre a natureza nebulosa do ser humano.

domingo, outubro 01, 2017

Em Ritmo de Fuga

(Baby Driver, Inglaterra/EUA, 2017)
direção: Edgar Wright
Elenco: Ansel Elgort, Lily James, Kevin Spacey, Jon Hamm

Baby é um jovem comum que como todos de sua faixa etária adora música (que serve para diminuir um incômodo auditivo), e uma energia constante (e raciocínio rápido) para realizar feitos notáveis no volante quando o assunto é crime. Mas apesar de tudo, o pobre rapaz tem um nobre coração, e este é remexido pela simpática garçonete Debora transformando em um argumento poderoso para mudar de vida, e uma dor de cabeça para deixar o mundo do crime para trás.
Com um roteiro simples, o estiloso Edgar Wright faz uma obra em que a montagem e a música vivem em harmonia realizando aquele filme pop - além das ótimas cenas de perseguição - recordando demais o ótimo Drive (que eu considero superior a este pelo ar de anos 80 e pelo requinte visual de Refn). E o elenco está bom com destaque para o ator Ansel Wright que demonstra carisma (e uma carinha de anjo que seduz todo mundo), e um surpreendente Jon Hamm que confere humanidade a um criminoso que não deve se meter. Mesmo não sendo tão criativo como Scott Pilgrim Contra o Mundo, Em Ritmo de Fuga é um bom filme pipoca.

segunda-feira, setembro 25, 2017

Destaque nos cinemas

ATÔMICA
(Atomic Blonde, EUA, 2017) de David Leitch
Ação. Durante a Guerra Fria, uma agente secreta tem uma missão a cumprir em Berlim: recuperar dados e investigar o assassinato de um espião.



COMO NOSSOS PAIS
(Brasil, 2017) de Laís Bodanzky
Drama. Ao descobrir a verdadeira identidade de seu pai, Rosa entra em crise familiar e conjugal.




IT: A COISA
(It, EUA, 2017) de Andres Muschietti
Terror. Grupo de amigos retornam a sua cidade natal para caçar uma figura assustadora que assassina crianças.



UMA MULHER FANTÁSTICA
(Una Mujer Fantástica, Chile/Espanha/Alemanha/EUA) de Sebastian Lelio
Drama. Mulher que tem a ambição de ser cantora tem a sua vida abalada com a morte do seu namorado.



AS DUAS IRENES
(Brasil, 2017) de Fabio Meira
Drama. Garota descobre que o seu pai tem uma outra família; e o pior, tem uma outra filha também chamada Irene.



MÃE!
(Mother!, EUA, 2017) de Darren Aronofsky
Terror. Casal recebe visitas inesperadas em sua casa causando atrito e total desconforto.

quarta-feira, setembro 20, 2017

Lançamentos em DVD/Blu-Ray

GUARDIÕES DA GALÁXIA VOL. 2
(Guardians of the Galaxy Vol. 2, EUA, 2017) de James Gunn
Aventura. Peter Quill e companhia continuam as suas aventuras intergaláticas até aparecer o pai do herói marginal do espaço



CORRA!
(Get Out!, EUA, 2017) de Jordan Peele
Terror. Jovem negro passa por apuros quando é convidado a conhecer os pais de sua namorada branca.




Z - A CIDADE PERDIDA
(The Lost City of Z, EUA, 2016) de James Gray
Aventura. Biografia de uma aventureiro britânico que no inicio do século 20 busca o mítico Eldorado na floresta amazônica.